Hipertensão: Consequências e Tratamento

tratamento-hipertensao

Hipertensão: estatísticas

Segundo a Organização Mundial da Saúde, 9 milhões e 400 mil pessoas (entre homens e mulheres nas mais diversas faixas etárias e) morrem por ano devido a problemas provocados pela hipertensão arterial. Esses números extremamente absurdos são percebidos apenas em guerras. Pior do que isso, essas mortes estão associadas a uma doença que pode ser prevenida. A hipertensão arterial não possui cura, mas existem meios de se prevenir seu surgimento.

Devido ao elevado número de pessoas hipertensas, as quais respondem por 45% do total de ataques cardíacos e 51% dos acidentes vasculares cerebrais, eis a importância que o cuidado com a hipertensão deve ter para a população mundial.

Doença silenciosa

A hipertensão arterial é conhecida como uma doença silenciosa. Logo, muitas pessoas nem ao menos sabem que são hipertensas. Para diagnosticar o problema é necessário medir a pressão a partir de uma certa idade. Até mesmo jovens com 35 anos de idade devem confirmar os dados da pressão arterial, pois ocasionalmente ela pode estar elevada.

Doença hereditária

A hipertensão arterial é uma doença transmitida de pais para filhos. Portanto, aquelas pessoas que contenham histórico familiar favorável à doença têm uma grande probabilidade de também se tornarem hipertensas.

Como medir a pressão arterial corretamente

A pressão arterial deve ser medida em momentos específicos. Ela não deve ser mensurada se o indivíduo estiver cansado, nervoso, correndo ou em depressão, pois são situações que podem influenciar no resultado. Isso é algo fisiológico. O simples hábito de tomar café, fumar cigarro ou beber bebida alcoólica pode elevar a pressão. Além disso, via de regra, pessoas que estejam com vontade de urinar estarão com a pressão elevada.

Outro fator que pode elevar a pressão corresponde à postura sisuda adotada pelo médico. Inicialmente, esse contato tende a elevar a pressão arterial do paciente. Portanto, é altamente recomendado que o tempo de consulta seja prolongado para que o médico consiga conversar com o paciente e descontraí-lo. Depois, ele deve confirmar qual é a real pressão típica daquele indivíduo. A pressão arterial é alterada com extrema facilidade.

Assim, para medir a pressão corretamente é necessário estar descansado por 15 minutos, além de estar com a bexiga vazia, não ter fumado, tomado café, ou realizado uma longa caminhada. Além disso, o braço (esquerdo ou direito) deve ficar na altura do tórax e do coração.

O procedimento de medição correto seria manter o paciente deitado e medir a pressão arterial do paciente nos dois braços e pernas. No entanto, praticamente nenhum médico segue essa regra. Somente através desse procedimento será possível afirmar se o indivíduo é hipertenso, normotenso, ou hipotenso.

Vale também lembrar que as pessoas costumam comprar aparelhos digitais para medir a pressão. Porém, esses dispositivos são muito sensíveis. O ideal seria verificar a pressão apontada pelos dois braços e tirar uma média.

Consequências da hipertensão arterial

Os vasos arteriais se assemelham a uma árvore. Assim, eles devem possuir pequenas ramificações, chamadas arteríolas. Devido a um determinado processo, essas arteríolas sofrem uma contração, fazendo com que o coração tenha de fazer uma força extra para conseguir bater. Consequentemente, a pressão arterial se eleva. Esse esforço desproporcional do coração na tentativa de impulsionar o sangue pode ser mal sucedido, culminando no rompimento de um vaso situado na cabeça (acidente vascular cerebral hemorrágico). Nos rins, essa força desmedida pode deteriorar os vasos renais, o que leva à realização de diálise. No coração, a principal consequência provocada pela hipertensão é o infarto do miocárdio.

Tratamento

Vale destacar que o indivíduo não precisa ser necessariamente obeso para ter hipertensão, pois esse se trata de um problema hereditário. Por fim, essas pessoas precisam ser tratadas com o medicamento adequado, uma medida preferível à necessidade de se fazer uma diálise, à ocorrência de um infarto, ou ao acometimento de um AVC.

Para mais informações, visite o site da Sociedade Brasileira de Hipertensão.