Avaliação Física antes da Prática de Exercícios: Por Que Fazer?

avaliacao-fisica

O que se espera é que as pessoas façam exames de saúde anuais ou periodicamente. Infelizmente, isso não ocorre no Brasil. Existem algumas características que obrigam o sujeito a fazer um exame médico antes da prática de atividade física. Normalmente, essas características são os próprios fatores de risco. Antes de iniciar a prática de uma atividade física, o indivíduo deve fazer uma triagem prévia dos fatores de risco relacionados, principalmente, aos problemas cardíacos.

Fatores de risco

Um desses fatores é a idade. A mais recente diretriz (2010) diz que homens com 45 anos ou mais e mulheres com idade igual ou superior a 55 anos, apresentam fatores de riscos (quais). Os indivíduos pré-diabéticos; níveis de açúcar elevados; fumantes que sempre fumaram, aqueles que interromperam o hábito há apenas seis meses ou que convivem com um fumante; obesidade (índice de massa corporal superior a 30); sedentarismo (não fazer atividade física ao menos três vezes por semana durante 30 minutos durante os últimos seis meses) e a hipertensão (pressão arterial entre 140 e 190).

Classificação advinda dos fatores de risco

Os indivíduos são estratificados em aparentemente saudáveis (pessoas com idade inferior a 45 e 55 que não possuem fatores de risco ou sintomas), como aqueles que apresentam algum risco (portadores dos fatores de risco) e os que exibem sintomas, que são os doentes.

Fatores de risco x prática de atividades físicas

Na verdade, há de se tomar algum cuidado, pois as diretrizes são bem claras. Ao mesmo tempo em que se deve avaliar os fatores de risco, é necessário ter cuidado para não restringir a prática de atividades físicas. Afinal, o excesso de restrição acaba impedindo o indivíduo de ser fisicamente ativo. No Brasil, é importante frisar a avaliação porque o hábito de fazer um check up anual é praticamente inexistente. Por sinal, entre os fatores de risco ainda cabe mencionar o colesterol: LDL (ruim) maior ou igual a 130, HDL (bom) inferior a 40, e o colesterol total superior ou igual que 200.

Ultimamente, os casos de mal súbito têm crescido. Logo, as pessoas devem ter cuidado com essa questão preventiva. Por outro lado, a avaliação médica não pode ser colocada como um obstáculo para que a prática do exercício físico não seja realizada.

Leia mais acerca da prática de exercícios físicos em: http://metadrol.net.br/exercicios-para-ganhar-massa-muscular/

Questionário de avaliação física

Atualmente, existe um questionário utilizado mundialmente na triagem. Trata-se de sete perguntas bem simples, nas quais uma resposta positiva a qualquer uma delas indica que o indivíduo deve, obrigatoriamente, ir a uma consulta médica. São elas:

1) Algum médico já disse que você tem problema cardíaco?

2) Você sentiu dor no peito no último mês por qualquer motivo?

3) Você sente dor no peito durante a atividade física?

4) Você tem algum problema ósseo ou articular que seja agravado pela prática de atividade física?

5) Você está tomando algum comprimido ou algum medicamento relacionado à hipertensão?

6) Você está tomando algum comprimido ou algum medicamento relacionado à doença cardíaca?

7) Você conhece algum outro motivo que o impediria de praticar exercícios físicos?

A importância da avaliação física

É importante ressaltar que um nível moderado de treinamento já indica que o indivíduo é ativo. No mais, existem dois perigos: aquele sedentário que nunca fez nada e decide iniciar uma atividade física, e aquele que já é moderadamente ativo, mas aumenta muito a intensidade dos treinos. Essas pessoas devem procurar por um médico antes de ascenderem ao próximo nível. Vale lembrar que o exame deve ser completo, pois não adianta receber o atestado de aptidão emitido por um profissional de academia, algo muito comum nos dias de hoje. É essencial passar por uma bateria de testes.

É importante deixar bem claro que o exame médico não é impeditivo para a prática de atividade física, mesmo se o indivíduo for hipertenso. Na verdade, o exame tem a função de balizar o exercício. Assim, se o médico diagnosticar que o indivíduo é hipertenso, este deve pegar o resultado do teste de esforço para saber qual é a intensidade real do treinamento a ser praticado. Desse modo, fica mais fácil se exercitar. Além disso, o hipertenso poderá realizar todas as atividades disponíveis.

Qualquer atividade física estimula a fisiologia, o que melhora a possibilidade de crescimento, que por sua vez está ligada à genética. Logo, basta observar os pais para descobrir qual pode ser a dimensão física alcançada. As pessoas podem iniciar a prática da musculação, mas desde que estejam motivadas, capazes de compreender o que lhes for informado e que tenham um acompanhamento adequado. Praticamente qualquer atividade poderá ser feita, contanto que ela seja executada com a intensidade e forma adequadas para cada caso.

Créditos: Metadrol